Alopecia, um inimigo que encontra novas trincheiras.

Historicamente, a maior dificuldade para vencer uma guerra é conseguir supor a estratégia do inimigo. O problema seria maior caso seu adversário mudasse ou tivesse uma carta na manga, que você não esperava. Essa é a mesma coisa que acontece com a alopecia ou com a calvície, seja ela em homens ou mulheres. 

Como sabemos, a calvície possui diversas origens – porém alguns fatores colocam as alopecias adquiridas em uma nova perspectiva, sob os holofotes. 

Até descobrirmos o motivo da doença, ficamos dias e dias sofrendo as consequências estéticas que geram tal perda. Por isso, te mostraremos os fatores que podem estar gerando esse malefício, ou seja, queda de cabelo por motivos externos e não genéticos.

 

Tipos de alopecias: os 6 fatores mais comuns 

Entre os fatores que podem gerar queda capilar, encontramos 6 agentes que mais aparecem como principais causadores desse problema. 

Assim, entendendo que a alopecia adquirida é nada mais que uma consequência de fatores externos, fica claro que o melhor tratamento, além da ajuda de um cronograma de crescimento capilar, é excluir os gatilhos da queda de cabelo.

Logo, assim como nas grandes guerras, ao apresentar os fronts da alopecia, indicamos também a melhor maneira para combater esse inimigo comum.

1- Deficiência de proteínas, vitaminas e minerais.

É claro que o melhor do brasileiro é o sorriso, o jeito acolhedor, mas com toda certeza, não é o forte do nosso povo uma alimentação saudável e realmente rica em nutrientes.

Entre os elementos que faltam na nossa alimentação, a biotina é um dos grandes ausentes. Porém, é ela quem auxilia o desenvolvimento e o bom funcionamento do nosso corpo. Entre as dificuldades da sua ausência, encontramos o crescimento de cabelos fracos e, consequentemente, a queda capilar.

Além da deficiência de biotina, ferro e zinco também são prejudiciais. A ausência desses nutrientes pode não chegar a levar a queda capilar, mas se os sintomas forem brandos tirará no mínimo o brilho dos seus fios.

2- Estresse e queda capilar

Um fator muito presente na nossa sociedade e, em especial, na sociedade que passa pelas consequências da pandemia, é o estresse.

Estamos muito estressados. Há muita cobrança do trabalho, dos estudos, da vida social. Os deveres aumentaram e as possibilidades de descanso e lazer ainda estão reduzidas. Estamos em uma panela de pressão e nossos cabelos também sofrem com isso.    

Infelizmente a queda de cabelo é um dos sintomas mais comuns do estresse. Ao liberar cortisol e outros hormônios, nosso organismo não consegue absorver os nutrientes necessários (olha eles aqui de novo!).

O estresse é um dos grandes inimigos de um crescimento capilar saudável.

Assim, podemos dizer que a Covid-19 não impacta somente de forma direta o crescimento capilar – não esqueça que uma das consequências do pós Covid é a queda capilar – ela, associada ao estresse próprio da situação atual enfraquece e pode ocasionar na queda capilar.

3- Alopecia por tração: um mal já conhecido

A alopecia por tração é um tipo de alopecia adquirida. 

A sociedade brasileira de dermatologia do estado do Rio de Janeiro, alerta que a alopecia de tração, pode gerar uma queda irreversível, principalmente para pessoas que desde a infância utilizam penteados muito apertados. 

Enfim, o problema em si não é o penteado, mas a tensão que pode estar sendo feita sobre o cabelo, por isso, fica o alerta! 

Caso você use penteados muito apertados, muito pesados ou nos quais seu cabelo precisa ficar muito tempo preso (como é o caso das box braids), não esqueça de deixar seu cabelo “respirar” e de respeitar os prazos de processo dos mesmos. 

Além do mais, tenha certeza, mudar o visual um pouco também é bom.

4- Quimioterapia

Já falamos aqui sobre a relação da quimioterapia e da queda de cabelo. Porém, é importante lembrar sobre essa circunstância que de fato atinge muitas pessoas. 

A quimioterapia, por atingir diretamente células que se multiplicam rapidamente (as células cancerígenas), acaba atacando também as que fazem o crescimento dos fios de cabelo, que também possuem como característica uma multiplicação mais rápida.

Porém, não é regra a queda de cabelo no tratamento. É fato que alguns pacientes passam pelo procedimento e não sofrem este efeito colateral. Isso se dá porque como existem tipos de câncer mais ou menos graves os medicamentos também acompanham a gravidade do câncer.

5- Alopecia por droga induzida

Hoje, um dos grandes embates que se tem dentro do campo da saúde é sobre a cultura medicamentosa. Muitas pessoas tomam remédios desnecessariamente e sem ajuda ou recomendação médica.

Isso leva à mistura de substâncias que, por muitas vezes, possuem efeitos adversos  pela falta de uma correta administração medicamentosa, desse modo você pode adquirir outros grandes problemas.

É preciso acabar com a ideia que a quimioterapia é o único medicamento que pode trazer a alopecia adquirida como consequência, pois até medicações que se tornaram comuns em nossa sociedade podem gerar esses mal, por exemplo os antidepressivos, anfetaminas e até o anticoncepcional.

Por sua vez, alguns anticoncepcionais funcionam a base de estrogênio e progesterona que podem acabar danificando seus cabelos, como constatam os especialistas. Para evitar essa situação, consulte um ginecologista para que vocês possam escolher a medicação que mais se adapte ao seu organismo.

6- Gravidez e pós-parto

Sim, alopecia adquirida também pode ser decorrente de gravidez e do pós-parto. Por um motivo parecido com os remédios, a queda de cabelo nesse momento importante da vida é resultado de uma desregulação hormonal natural à mulher.

Segundo os médicos: “(…) a mais comum é a que ocorre no pós-parto, em função da queda da progesterona. Essa, é uma alopecia transitória. Geralmente, ela começa de 3 a 4 meses após o parto, mas a recuperação é completa.”

Além da questão hormonal, outro motivo para a queda de cabelo no pós parto pode ser o estresse cirúrgico, no caso de cesárea. Aqui voltamos ao ponto dois.

É interessante observar que se a cesárea, por ser uma cirurgia invasiva, acaba gerando estresse, é lógico pensar que outras cirurgias também poderão acarretar tal situação.   

Mas não se preocupe, seja motivada por essa ou outra cirurgia, ordinariamente é uma situação que com o tempo será sanada.

Uma solução além do tempo  

Podemos reparar que na maioria das situações de alopecia adquirida um dos fatores, ou melhor, a solução, mais presente é o tempo. Seja o período para conseguir recuperar a saúde dos seus fios, do seu corpo ou da sua mente, a alopecia é vencida majoritariamente com o tempo. Porém, é possível ajudar, ou melhor, acelerar esse processo de restabelecimento com um bom cronograma de crescimento capilar.

Essa é uma solução que, pela lógica do procedimento, te ajudará a preservar os fios que você tem, suprindo as deficiências do seu organismo.

Além disso, é preciso cortar o mal pela raiz. 

Uma alimentação regulada, um acompanhamento contínuo com um bom médico, e práticas que te levem a relaxar não será algo que fará bem somente ao seu cabelo, mas a muitos aspectos da sua vida. 

A solução para grande parte dos nossos problemas é entendermos que somos um todo que precisa ser cuidado, por isso, cuide bem de você mesmo.

Essas e outras dicas você só encontra aqui, na Royal Drop. Por isso, continue nos acompanhando para aprender muito mais e sentir-se bem com você mesmo: blog.royaldrop.com.br